Dicas e informações sobre casa e construção

O crescimento da construção civil no Brasil. Quais as razões?

Quais os motivos que estão por trás do crescimento do setor da construção civil no Brasil? Veja uma análise mostrando as possíveis razões desse crescimento

Depois de muitos anos praticamente estagnado o mercado da construção civil finalmente deslanchou no Brasil e hoje podemos dizer que estamos vivendo um bom momento para o setor da construção civil. Basta olharmos e nossa cidade para perceber a quantidade de novos empreendimentos, reformas outras obras relacionadas a construção de casas, apartamentos e outros empreendimentos imobiliários.

Mas o crescimento da construção civil no Brasil não ocorreu por acaso e embora possa existir diversos motivos que tenha fomentado este momento, acredito que pelo menos três fatores foram fundamentais para permitir o desenvolvimento do setor.

Demanda alta

No meu entendimento o primeiro é grande fator era alta demanda que existia e de certa forma ainda existe no Brasil por empreendimentos imobiliários, especialmente aqueles destinados ao uso residencial. A matemática é bastante simples: a população não parou de crescer e com o mercado da construção civil praticamente parado foi inevitável aumento da demanda por casas e apartamentos destinados à moradia.

Uma coisa que influenciou bastante a demanda é o fato do Brasil ser um país em desenvolvimento, então, no país  ainda há muito que se fazer. Os dois setores importantes envolvidos nesta estruturação e busca por maior desenvolvimento são: o setor imobiliário e da construção civil. Visto que, são estes alguns dos setores que trabalham para estruturar o crescimento do país, aumentar a qualidade de vida dos habitantes e fomentar a indústria, o emprego e renda no país.

Melhora econômica

Mas de nada adianta ter a necessidade de comprar uma casa ou apartamento e não ter dinheiro ou pelo menos condições de sustentar os pagamentos de um financiamento, por exemplo. Desta forma a melhora na economia que foi percebida nos últimos anos com aumento da classe média especialmente da chamada classe c, proporcionou às pessoas as condições necessárias para investir na compra de um imóvel para residência.

Os níveis de emprego e renda influenciam diretamente na condição de pagar e manter um financiamento e no sentimento de bem-estar da população. Além disto com a melhora do setor da habitação, renda e emprego, o Brasil fica melhor ranqueado perante os demais países e atrai investidores e empreendimentos.

Melhores condições de financiamento

Por fim eu coloco ainda como um fator de grande importância que ajudou e ainda está ajudando o crescimento da construção civil no Brasil que são as melhores condições para financiamento de imóveis novos e usados. Por melhoria nas condições eu quero dizer que as taxas de juros, embora ainda altíssimas, estão relativamente mais baixas do que as praticadas no passado, sem contar que as pessoas de baixa renda que não tinha uma perspectiva para a compra de uma casa própria passou a ser beneficiado por taxas mais baixa e também com subsídio do governo para ajudar na compra do seu imóvel residencial.

Essas condições foram agregadas o programa Minha Casa Minha Vida que permitiu o surgimento dos números empreendimentos populares e trouxe benefícios para inúmeras famílias. Segundo Carlos A. G. Júnior et all:

Entre as diretrizes básicas do programa (Minha casa Minha Vida) está a redução do déficit habitacional, que, de acordo com o Ministério das Cidades, em 2008 já superava os cinco milhões de residências, estando 89% do déficit entre famílias que auferem renda de até três salários mínimos. Outras diretrizes básicas do programa são a dinamização do setor de construção civil e a geração de emprego e renda.

Não é difícil notar que foram diversos os fatores que influenciaram o crescimento da construção civil no país e houveram diversos benefícios ao país e seus habitantes. Também vale lembrar que embora os pontos positivos e a melhoria da qualidade de vida, o preço dos imóveis e dos terrenos inflacionou e os valores subiram substancialmente, no entanto, devido às políticas de habitação o acesso tem sido facilitado e tem tornado possível que pessoas de baixa renda adquiram seus imóveis, através de parcelamentos longos (até 35 anos) e pequenas parcelas (a partir de R$ 80,00).

Atualização 2020

A crise provocada pela pandemia do coronavírus no ano de 2020 deverá impactar de forma significativa a construção civil, não só neste ano, mas para os próximos anos também. Como a construção civil trabalha com o valor altamente agregado, os reflexos podem ocorrer em um período maior e frear um pouco a demanda por construções de novas casas e apartamentos.

Embora esta atualização esteja acontecendo no meio da crise e não conhecemos ainda o seus reais reflexos na economia, acredito que por conta da queda da atividade econômica, do suposto desemprego que começa a desenhar e consequentemente a queda da renda do trabalhador, tudo isso deverá ter um impacto direto na construção civil, que como citei acima poderá ter reflexos negativos para os próximos anos.

Inicialmente parece não ter havido grandes reflexos, até porque, a construção civil foi uma das atividades autorizadas a trabalhar durante a paralisação da quarentena, mas isto pode ser apenas o reflexo do que já estava em andamento. O que preocupa é uma possível baixa na compra de imóveis novos.

REFERÊNCIAS

CARDOSO, Adauto Lucio; JAENISCH, Samuel Thomas; ARAGÃO, Thêmis Amorim. 22 anos de política habitacional no Brasil: da euforia à crise. Letra Capital Editora LTDA, 2017. Acesso em 12/8/19. Link.

Economia Básica: Um guia de economia voltado ao senso comum —, Volume 1. Por Thomas Sowell. Acesso em 12/8/19. Link.

GIAMBIAGI, Fabio; BARROS, Octavio. Brasil globalizado: O brasil em um mundo surprendente. Elsevier Brasil, 2008. Acesso em 12/8/19. Link.

JUNIOR, Carlos Alberto Gonçalves et al. O impacto do Programa Minha Casa, Minha Vida na economia brasileira: uma análise de insumo-produto. Ambiente Construído, v. 14, n. 1, p. 177-189, 2014. Acesso em 12/8/19. Link.

VILLELA, Fábio Fernandes. Indústria da construção civil e reestruturação produtiva. Livrus, 2013. Acesso em 12/8/19. Link.

Onde posso saber mais sobre o assunto?

TAVARES, Maria da Conceição; BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. Notas sobre o processo de industrialização recente no Brasil. Revista de Administração de Empresas, v. 19, n. 1, p. 07-16, 1979. Acesso em 12/8/19. Link.

FOCHEZATTO, Adelar; GHINIS, Cristiano Ponzoni. Determinantes do crescimento da construção civil no Brasil e no Rio Grande do Sul: evidências da análise de dados em painel. Ensaios FEE, v. 31, 2011. Acesso em 12/8/19. Link.

INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL E REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA. Por Fábio Fernandes Villela. Acesso em 12/8/19. Link.

Gostou? Compartilhe




© 2012-2019 | Casa Dicas | Deus seja Louvado | Política de Privacidade