Dicas e informações sobre casa e construção

Tipos de condomínio: horizontal e vertical, residencial e comercial

Veja quais são as diferenças entre condomínio horizontal e vertical e ainda entre condomínios residenciais e comerciais. Entenda o que é um condomínio e como ele funciona. Qual a relação entre os condomínios fechados de hoje e as cidades antigas que eram muradas e fortificadas, como era o caso de Tróia, Jericó e tantas outras cidades da antiguidade?

Você construiu recentemente? Quanto custou do m/2 da construção da sua casa? CLIQUE AQUI e informe

O termo condomínio é usado para designar uma situação onde mais de uma pessoa tem domínio sobre um determinado bem. No caso do setor imobiliário, os condomínios são bastante comuns e refletem boa parte dos empreendimentos imobiliários no momento. Mas existem algumas classificações que precisam ser feitas para uma melhor compreensão do termo, então é comum encontrarmos as classificações horizontal e vertical, residencial e comercial.

Condomínio Vertical

O termo vertical pode ser usado para informar que se trata de um edifício de apartamentos no formato de torre, que pode ser formado por apenas uma torre ou várias torres irmãs. É uma definição que serve como orientação no caso de venda ou de referência para quem compra um imóvel na planta, por exemplo.

Esse tipo de construção é muito comum nas cidades de médio e grande porte e sua grande vantagem é o fato de ele usar o espaço vertical e muito pouco do horizontal. Desta forma, como muitas cidades enfrentam problemas de falta de espaço para a construção civil, os prédios de apartamentos surgem como uma boa alternativa.

Condomínio horizontal

condomínio horizontal condominios de casas

Já o condomínio horizontal é aquele onde as construções são feitas no plano horizontal ou uma ao lado da outra e não em cima da outra como acontece plano vertical. Em outras palavras podemos usar um termo mais popular que seria o condomínio de casas construídas no plano horizontal. Esse tipo de condomínio deve ficar cada vez mais restrito pois ele exige um terreno maior para a sua construção e com as limitações geográficas cada vez maiores, especialmente nas grandes cidades fica evidente que os condomínios verticais terão muito mais espaço do que os horizontais.

Condomínio Residencial

Outra classificação encontrada com facilidade é quanto a finalidade dele, neste caso podemos afirmar que há dois tipos: residenciais e comerciais.

O condomínio residencial é aquele destinado a moradia de uma família. Normalmente o contrato de compra de imóveis em condomínio residencial expressa a obrigatoriedade de aquele imóvel ser usado para fins de moradia e normalmente de uma única família. Naturalmente que com a vida moderna, moradia e trabalho as vezes se juntam, mas o que geralmente não é permitido é a construções de prédio comerciais destinado a exploração de atividades comerciais e circulação de pessoas.

Condomínio Comercial

E os condomínios comerciais são destinados a construção de prédios para a exploração da atividade comercial ou industrial por exemplo. Em muitos casos eles são fomentados pelas prefeituras que visam atrair empresas, em outros casos são criados por iniciativa privada para exploração comercial do setor.

Condomínios fechados é a volta das cidades fortificadas e muradas?

Antigamente as cidades eram fortificadas e havia o hábito de construir muros em volta das cidades. A história comprova isso de diversas maneiras. Quem viu o filme Tróia, por exemplo tem uma noção de como eram as cidades. Outro exemplo é a Bíblia que cita inúmeras cidades com essas características como podemos ver nas duas citações abaixo:

Para onde subiremos? Nossos irmãos fizeram com que se derretesse o nosso coração, dizendo: Maior e mais alto é este povo do que nós; as cidades são grandes e fortificadas até aos céus; e também vimos ali filhos dos gigantes. [Deuteronômio 1.28]

Todas essas cidades eram fortificadas com altos muros, portas e ferrolhos; além de outras muitas cidades sem muros. [Deuteronômio 3.5]

Versão Almeida Revista e Corrigida, SBB.

As cidades eram muradas e fortificadas visando a segurança de seus moradores, pois era muito comum naquela época as invasões de povos inimigos e as guerras eram quase um estilo de vida. Com isso quando mais altos fossem os muros e mais forte ele fosse, mais seguro seria a cidade.

Muralha da China

Muralha da China, um dos mais impressionantes feito pelo homem. 

Condomínios fechados

Atualmente no Brasil a quantidade de condomínios fechados já é grande e não dá sinais de quem irá parar de crescer. Os motivos que tem levado mais e mais pessoas a adotar este tipo de moradia são os mesmos que levaram os povos antigos a construir muros em suas cidades, ou seja, a segurança.

Desta forma é possível concluir que os condomínios fechados são de certa forma a volta do conceito de cidades fortificadas, resguardando as devidas proporções. Chega a ser irônico pensar nisso, pois dá a impressão que estamos regredindo ou sendo obrigados a regredir e adotar uma arquitetura, se é que posso chamar assim, que até então era vista como ultrapassada, esquisita e trabalhosa.

Mais segurança

Mas os condomínios atuais vão além de muros, pois isto só não bastaria hoje. É comum também as cercas elétricas, câmeras de monitoramento, ronda noturna, etc. Na última reunião de condomínio que participei, havia uma camarada de uma empresa que fez uma breve apresentação do sistema de segurança deles que era uma espécie de laser infravermelho em substituição a cerca elétrica, coisa de filme do 007. Aonde chegaremos?

Diante disso fica uma reflexão: Antigamente os inimigos estavam do lado de fora e portanto ao erguer os muros a cidade ficava protegida deles. Hoje os inimigos estão do lado de dentro e se erguermos muros em volta da cidade não resolveria. Desta forma a tendência de fechar bairros parece não ter limites e poderão chegar a níveis impressionantes, criando assim diversas pequenas cidades fortificadas dentro de outras cidades. Chega a ser confuso, mas é por ai.

Algumas considerações:

Não existe segurança 100%, exceto a que vem de Deus. Logo, pensar que morar em condomínio fechado nos blindará de problemas de segurança, pode ser enganoso. Existe sim uma segurança melhorada e bem aperfeiçoada em alguns casos, mas não 100%.

Se as coisas continuarem no ritmo em que estão, não é de admirar que tenhamos a volta de verdadeiras cidades fortificadas. Não a cidade inteira como havia na antiguidade, mas a tendência é que os condomínios sejam cada vez em maior quantidade para atender a alta demanda de pessoas interessadas neste tipo de moradia.

Muito se questiona sobre a taxa condominial que alguns julgam ser alta e em alguns casos é mesmo. Contudo, ela é o preço que se paga para ter um pouco mais de segurança e privacidade que não se encontra nos bairros abertos.

Apesar das vantagens acima expostas, há também regras de convivência, para construção, para uso do espaço público e outras regulamentações que precisam ser observadas por moradores e proprietários.

Conclusão

Seja residencial ou comercial, seja vertical ou horizontal, os condomínios são em última instância uma sociedade formada por duas ou mais pessoas e toda sociedade tem conflitos de interesse, de valores, entre outros. Normalmente os condomínios são regidos por um contrato onde fica especificado os direitos e deveres de cada condômino e é administrado por uma empresa especializada em administração de condomínios. Também é necessária a eleição de um síndico que é responsável pela orientação, fiscalização e intervenção em eventuais conflitos. Em sua seu papel é fazer valer o contrato e manter a boa ordem no condomínio.

Gostou? Compartilhe




© 2012-2019 | Casa Dicas | Deus seja Louvado | Política de Privacidade
Este site usa cookies e ao continuar navegando, você concorda com a política de privacidade.